quarta-feira, 13 de abril de 2016

Faça já o seu Cadastro Ambiental Rural


ATENÇÃO: O prazo para inscrição no Cadastro Ambiental Rural - CAR com acesso aos benefícios de regularização ambiental se encerra dia 5 de maio de 2016.

Você sabe o que é o CAR?

O Cadastro Ambiental Rural – CAR é um registro eletrônico, obrigatório para todos os imóveis rurais, que tem por finalidade integrar as informações ambientais referentes à situação das Áreas de Preservação Permanente - APP, das áreas de Reserva Legal, das florestas e dos remanescentes de vegetação nativa, das Áreas de Uso Restrito e das áreas consolidadas das propriedades e posses rurais do país. Criado pela Lei 12.651/2012 no âmbito do Sistema Nacional de Informação sobre Meio Ambiente - SINIMA, o CAR se constitui em base de dados estratégica para o controle, monitoramento e combate ao desmatamento das florestas e demais formas de vegetação nativa do Brasil, bem como para planejamento ambiental e econômico dos imóveis rurais.
Ao realizar o CAR além de possibilitar o planejamento ambiental e econômico do uso e ocupação do imóvel rural, a inscrição no CAR, acompanhada de compromisso de regularização ambiental quando for o caso, é pré-requisito para acesso à emissão das Cotas de Reserva Ambiental e aos benefícios previstos nos Programas de Regularização Ambiental – PRA e de Apoio e Incentivo à Preservação e Recuperação do Meio Ambiente, ambos definidos pela Lei 12.651/12. Dentre os benefícios desses programas pode-se citar:

  • Possibilidade de regularização das APP e/ou Reserva Legal ;
  • Suspensão de sanções;
  • Obtenção de crédito agrícola;
  • Contratação do seguro agrícola;
  • Dedução das Áreas de Preservação Permanente, de Reserva Legal e de uso restrito;
  • Linhas de financiamento;
  • Isenção de impostos para os principais insumos e equipamentos.



Faça já o seu Cadastro Ambiental Rural


A inscrição deve ser feita junto ao órgão ambiental estadual ou municipal competente e/ou também na Associação de Mini-Produtores de Córrego AMPC, Sítio Córrego - Apodi/RN.

Técnicos responsáveis pelo cadastro:
Antônio Geracino 
Reginaldo Câmara 
Izadora Torres 
Wilma Tôrres

Documentos necessário: 
CPF;
RG;
Escritura da terra;Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural - ITR

Mais informações: 
http://www.car.gov.br/ 

terça-feira, 8 de julho de 2014

Orkut será encerrado em 30 de setembro


É oficial: o Orkut será desativado em 30 de setembro deste ano, conforme anúncio feito pelo Google na manhã de hoje, antecipado ao Olhar Digital. A partir desta segunda-feira, já não é mais possível abrir contas no serviço.

A empresa pede desculpas aos usuários pela atitude, mas afirma que ela é necessária porque o Orkut deixou de ser relevante, graças ao surgimento de plataformas melhores.

“Ao longo da última década, YouTube, Blogger e Google+ decolaram, com comunidades surgindo em todos os cantos do mundo”, comenta o diretor de engenharia do Google, Paulo Golgher. “O crescimento dessas comunidades ultrapassou o do Orkut. Por isso, decidimos dizer adeus ao Orkut e concentrar nossas energias e recursos para tornar essas outras plataformas sociais ainda mais incríveis para todos os usuários.”

Confira abaixo o texto, intitulado “Adeus ao Orkut”:

Dez anos atrás, o Google mergulhou pela primeira vez nas redes sociais por meio do Orkut, que nasceu como projeto experimental de um engenheiro que deu nome à rede. As comunidades do Orkut deram forma a conversas e conexões que até então não existiam, antes mesmo que as pessoas soubessem o que eram "redes sociais".

Ao longo da última década, YouTube, Blogger e Google+ decolaram, com comunidades surgindo em todos os cantos do mundo. O crescimento dessas comunidades ultrapassou o do Orkut. Por isso, decidimos dizer adeus ao Orkut e concentrar nossas energias e recursos para tornar essas outras plataformas sociais ainda mais incríveis para todos os usuários.

O Orkut será descontinuado no dia 30 de setembro de 2014. Até lá, não haverá impacto para os atuais usuários, para que a comunidade tenha tempo de lidar com a transição. Usuários podem exportar as informações do seu perfil, mensagens de comunidades e fotos usando o Google Takeout (disponível até setembro de 2016). A partir de hoje, novos usuários não podem criar novas contas no Orkut.

O Orkut pode estar indo embora, mas todas as incríveis comunidades criadas pelos usuários vão ficar. Um arquivo com todas as comunidades públicas ficará disponível online a partir de 30 de setembro de 2014. Se você não quiser que seu nome ou posts sejam incluídos no arquivo de comunidades, você pode remover o Orkut permanentemente da sua conta Google.

Foram 10 anos inesquecíveis. Pedimos desculpas para aqueles que ainda utilizam o Orkut regularmente. Esperamos que vocês encontrem outras comunidades online para alimentar novas conversas e construir ainda mais conexões, na próxima década e muito além.

Olhar Digital 

terça-feira, 13 de maio de 2014

Comunidade de Córrego receberá o Espetáculo "CASATÓRIA C'A DEFUNTA"


A ARD, Associação Raimunda Dantas tem o prazer de convidar-lhes para prestigiar duas apresentações do espetáculo "CASATÓRIA C'A DEFUNTA" da Cia. Pão Doce Teatro de Mossoró - RN. 
As apresentações aconteceram no município do Apodi - RN, nos dias 24 e 25 do mês de Maio do ano corrente. Os locais que aconteceram as referidas apresentações são; o adro da igreja matriz (Paroquia de Nossa Senhora da Conceição e São João Batista) e a comunidade rural do Sítio Córrego. 

“Pretendemos desenvolver uma extensa gama de produção e representação de manifestos culturais em nosso município. E está iniciativa vem com esse intuito, prover lazer, cultura e arte para a população apodiense.", diz o ator Luis Marinho. A "curta temporada" de duas apresentações da Cia. Pão Doce em nosso território, visá o fomento ao consumo cultural em nosso município. Principalmente no setor rural. 

"O setor rural de nossa cidade, é muito rico, porém muito esquecido, as vezes limitamo-nos somente a zona urbana, e nos esquecemos que nosso município é composto em sua maioria pela zona rural. Por isso, tivemos há necessidade de desenvolvermos um trabalho no setor, e essa é a primeira, de muitas iniciativas que pretendemos lançar, para tentarmos disseminar o manifesto cultural em todas as 04 regiões do nosso município.", relatou Luis. 

A iniciativa conta com o patrocínio do Deputado Estadual Kelps Lima, e o apoio da Vereadora Soneth Ferreira, Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social de Apodi e da Paroquia de Nossa Senhora da Conceição e São João Batista.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Cooperativa Central vai reunir produtores de caju de dez cidades do RN


A união de 968 agricultores familiares do estado em uma única unidade de beneficiamento e comercialização, em Apodi, permitirá aumento das vendas e melhoria na renda. 

Por Paula Crepaldi

A atuação da Fundação Banco do Brasil na cadeia produtiva da castanha de caju dá mais um passo para fortalecer o trabalho de 968 agricultores familiares do Rio Grande do Norte. Nesta quinta-feira (27/3), foi inaugurada a Cooperativa Central da Agricultura Familiar do Rio Grande do Norte (Cooafarn), localizada na cidade de Apodi, a 335 quilômetros de Natal. 

A Cooperativa Central terá o papel de apoiar a gestão das nove cooperativas de produtores integrantes do projeto, além de beneficiar a amêndoa com cobertura de caramelo ou chocolate, embalar o produto e buscar melhores condições de comercialização. Com a reunião da produção em uma central, será possível reduzir os custos na distribuição e logística e ganhar poder de negociação com a venda de grandes quantidades. 

A ação objetiva apoiar agricultores familiares na formação de empreendimentos solidários e sustentáveis voltados para a atuação ao longo de toda a cadeia produtiva da cajucultura. A iniciativa recebeu investimento social da Fundação BB de R$ 6,8 milhões e abrange comunidades rurais em dez cidades do estado: Portalegre, Severiano Melo, Apodi, Caraúbas, Campo Grande e Assu, na região oeste do Rio Grande do Norte; Macaíba, Pureza, Touros e Vera Cruz, na região do Mato Grande, parte leste do estado. Ao todo, cerca de 3 mil pessoas são beneficiadas com inclusão socioprodutiva. 

A Fundação BB tem contribuído também com consultoria para o desenvolvimento gerencial das cooperativas de produção, a implantação de 10 mini fábricas junto às cooperativas para beneficiamento da castanha de caju, a assistência técnica na plantação e colheita da fruta e a inclusão digital dos participantes, com a instalação de quatro estações digitais - salas com computadores e acesso à internet. 

As mini fábricas e as cooperativas têm uma capacidade de produção de 25 mil a 27 mil quilos de amêndoa por mês. No entanto, com a seca dos últimos três anos no Nordeste o volume tem chegado no máximo a 5 mil quilos. Apesar das condições climáticas difíceis, os participantes conseguiram garantir a sobrevivência. Segundo a diretora financeira da Cooafarn, Fátima de Lima Torres, o trabalho conjunto das cooperativas, agora reunidas na Cooperativa Central, permitiu buscar a castanha das famílias que conseguiram colher o caju e gerar trabalho de beneficiamento nas fábricas onde não houve colheita devido à estiagem. “Se não tivesse a fábrica essas comunidades não teriam renda”, afirma. 

Uma forma de aumentar a produção é a melhoria na qualidade técnica dos pés de caju. Com esse objetivo, a Fundação BB apoiou o trabalho de assessoria técnica aos agricultores, que iniciaram, há dois anos, o enxerto de mudas de cajueiro anão precoce nas árvores já existentes. Com o enxerto, os cajueiros vão gerar frutos com castanhas mais uniformes e mais difíceis de quebrar. A meta é conquistar qualidade na amêndoa no padrão exigido pelo mercado internacional e, assim, iniciar a exportação do produto. 

Além de propiciar geração de renda, o desenvolvimento das ações na cajucultura leva ao fortalecimento social das famílias de agricultores, no momento em que promove o associativismo e a formação de cooperativas. A nova forma coletiva de atuar e o contato com os profissionais enviados pelos parceiros têm estimulado a busca por conhecimento e a melhoria na formação técnica.

De acordo com Fátima, muitos cooperados estão voltando a estudar. Há três turmas em formação, no momento: uma de 25 jovens e adultos no ensino fundamental, outra com 16 pessoas no ensino médio e uma terceira cursando graduação em Gestão em Cooperativismo, formada exclusivamente para os cooperados, em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte. A proposta é que os alunos de graduação façam o estágio na própria Cooperativa Central, uma forma de criar oportunidades de trabalho e, ao mesmo tempo, de qualificar a mão de obra da cadeia produtiva.

A cajucultura

O caju é explorado há décadas no nordeste brasileiro, geralmente em atividade de extrativismo realizada por pequenos agricultores familiares de baixa renda. A coleta e os primeiros preparos são feitos, na maior parte das vezes, por mulheres e crianças que extraem a castanha, limpam, secam e vendem a compradores (atravessadores) das grandes fábricas de amêndoas.

A atuação da Fundação Banco do Brasil na cajucultura surgiu para descentralizar o negócio e propiciar aos pequenos produtores o processamento da castanha em amêndoas, agregando valor à produção, sem a necessidade de vender o produto in natura para os atravessadores. 

A ação tem como parceiros o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/RN), a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), a Companhia Nacional de Abastecimento, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, o Banco do Brasil e o governo estadual.

Matéria copiada de Fundação Banco do Brasil

terça-feira, 22 de abril de 2014

Centro de Saúde de Córrego - Instalação Provisória

O centro de saúde de Córrego está instalado provisoriamente na sede da Associação de Mini Produtores de Córrego e sítios Reunidos – AMPC no espaço do Auditório Pe. Theodoro. Funcionando normalmente de segunda a sexta feira de acordo no cronograma da equipe, preconizado pelo Ministério da Saúde. Com atendimento de hiperdia, C e D, pré-natal, Planejamento família e entre outros.




No local também são realizados eventos mensais com os grupos atendidos pelo Programa Saúde da Família com Hipertensos, Diabéticos, Gestantes, Crianças, Grupos de homens
O espaço da Estação Digital Espaço Virtual é utilizado 3 dias na semana com atendimento médico e um dia do mês para a reunião da equipe.



A equipe é composta por
Elayne Coriolano - Enfermeira e coordenadora.
Bruna Xavier - Médica.
Cristiano Marcos - Técnico de enfermagem.
Luiz Torres - Agente comunitário de saúde.
Rita Ferreira - Agente comunitário de saúde.
Antonia Maria - Agente comunitário de saúde.
Maria Docarmo - Agente comunitário de saúde.
Maristela Maria - ASG.
Zacarias Torres - ASG.
Motoristas - wallysson ou Gaguinho.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Representantes de Córrego participam do Festival Latino Americano de Instalação de Software Livre (FLISOL) em Mossoró)

Flisol MOssoró

Promover e difundir o uso de software livre e propiciar a interação entre usuários e desenvolvedores, é o objetivo do FLISOL (Festival Latino-Americano de Instalação de Software Livre), evento que ocorre simultaneamente em diversos países da América Latina, inclusive no Brasil.

A cidade Mossoró, principal cidade da região oeste do Rio Grande do Norte, realizará sua quinta edição de atividades no evento no próximo dia 26 de abril no campus central da Universidade Federal Rural do Semi-árido (UFERSA).

No evento, ocorrerá de maneira gratuita, a instalação de softwares livres nos computadores dos participantes que se interessarem, como também serão ofertadas palestras e mini cursos em torno de temáticas que envolvem o Software Livre em todas as suas expressões: artística, acadêmica, empresarial e social.

Da comunidade de Córrego, Apodi RN, participarão o coordenador da Estação Digital Espaço Virtual professor Caubí Torres, os educadores Antonio Geracino, Eciélio Morais, a pedagoga Rosi Torres e o estudante do curso técnico em cooperativismo Elias Júnior. 

A programação e as inscrições gratuitas para o FLISOL Mossoró estão disponíveis no site: http://flisol.mossorolivre.org/